Irmão de repórter da Globo é agredido por 7 homens e denuncia homofobia

Irmão de repórter da Globo é agredido por 7 homens e denuncia homofobia

Famosos
Guilherme Azevedo teve o ombro e dedos quebrados, além de machucados pelo corpo e seis pontos na cabeça
O músico Guilherme Azevedo, irmão do repórter André Azevedo, da Globo, usou suas redes sociais para denunciar as agressões que sofreu na última quinta-feira, em São Fidélis, no Norte Fluminense do Rio. Em um vídeo, Guilherme relatou que o crime aconteceu na beira de um rio, na rua de sua casa.
“Isso já vinha acontecendo, já fazia um mês mais ou menos. Diariamente eu vou ali para fumar um cigarro, para me alongar, para olhar o rio, para começar meu dia e sempre tenho encontrado com esses moleques, que ficam fazendo piadinha, olhando para mim”, relatou ele em vídeo.
O músico teve o ombro e dedos quebrados, cotovelo machucado, além de escoriações pelo corpo e seis pontos na cabeça. Guilherme também relatou que fazia questão de exibir as agressões e ressaltou que homofobia é crime.
O músico teve o ombro e dedos quebrados, cotovelo machucado, além de escoriações pelo corpo e seis pontos na cabeça. Guilherme também relatou que fazia questão de exibir as agressões e ressaltou que homofobia é crime.
O jornalista André Azevedo também se manifestou sobre as agressões que o irmão sofreu.
“O Guilherme é gay. Sempre foi e nunca escondeu. E sempre sofreu, desde criança. Na escola, no prédio, na rua. E 7 criminosos atentaram contra a vida dele portando paus, pedras e muita violência. Por nada, por nenhum motivo. Somente pelo fato do Guilherme ser quem ele é. Mas o Guilherme é forte. Nunca correu e sempre encarou a vida de frente, como ele encarou esses 7 malditos que o atacaram”, escreveu o irmão do músico.

O jornalista ainda falou sobre as agressões e que cobraria punição pelo crime sofrido pelo irmão.

“Dia 21, segunda-feira, Guilherme fará 32 anos. E ganhou de presente ombro quebrado, cotovelo quebrado, dedo quebrado, várias escoriações, 6 pontos na cabeça e marcas psicológicas que jamais serão esquecidas pelo ataque homofóbico que sofreu desses 7 covardes. Eu tenho orgulho do meu irmão ser quem ele é e pela coragem que tem. E não vamos parar até que esses vermes sejam punidos”, desabafou.

“Homofobia é crime e os homofóbicos não passarão impunes”, finalizou André.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *