Pesquisa sobre repositórios de dados em bibliotecas é apresentado em congresso internacional

Notícias

O trabalho intitulado ‘Prospección de repositorios de datos de investigación: estrategia para articular su arquitectura informacional’, de autoria da professora da Ufam, Célia Regina Simonetti Barbalho, Jeane Macelino Gavez (UEA) e do bibliotecário Thiago Giordano de Souza Siqueira (Biblioteca Central da Ufam), selecionado entre os 13 melhores, foi apresentado no V Congresso de Bibliotecas Universitarias y Especializadas, na Facultad de Economía y Negocios de la Universidad de Chile, em Santiago, no Chile, nesta terça-feira, dia 13.

A apresentação coube ao bibliotecário Thiago Giordano de Souza Siqueira, que expôs os resultados parciais da pesquisa constituída com o objetivo de identificar as práticas de acesso aberto a dados de pesquisa de instituições amazonenses, visando dimensionar a arquitetura de informação de um repositório de dados a partir do entendimento do volume de dados manipulado e seu crescimento exponencial; da variedade de formatos e tipos de dados; da dependência de tipos específicos de hardware ou software para acessar e usar os dados e da degradação à qual a mídia de armazenamento físico está inevitavelmente sujeita.

Os 21 expositores provenientes da Alemanha, Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Espanha, Estados Unidos, México e Uruguai, que participaram do Congresso, expuseram temáticas que analisam a gestão de dados de pesquisa e a inovação tecnológica nas bibliotecas, com a finalidade de proteger e dar acesso público aos dados possibilitando um diálogo capaz de traçar estratégias em nível latino-americano a partir dos casos apresentados.

Os participantes do Congresso discutiram a situação atual das bibliotecas universitárias, com apresentação de pesquisas especializadas e debateu o impacto da dimensão digital em sua gestão. Foi um espaço para troca de experiências e acesso a novas ferramentas tecnológicas, dirigido a bibliotecários e profissionais da informação.

 

Detalhes da pesquisa

Considerando os objetivos da pesquisa, o universo foi composto por 215.449 pesquisadores cadastrados na Plataforma Lattes, em outubro de 2017 e a amostra constituída por aqueles que atuam no estado do Amazonas, totalizando 5.397 sujeitos. O instrumento ainda se encontra em aberto na plataforma Lime Survey/Ufam para ser respondido. Contudo, para este estudo, foram analisados os 216 instrumentos respondidos no período entre 16 de junho e 9 de setembro de 2018.

Os 216 pesquisadores que responderam ao instrumento se identificaram como pesquisador (18,51%), professor pesquisador (55,09%), aluno de pós-graduação (16,66%). Deste total, a maioria pertence ao quadro da Universidade Federal do Amazonas, sendo este percentual condizente com a totalidade da distribuição da amostra foi composta por 44% de pesquisadores da Ufam, 14% do Ifam, 16% do INPA e 26% da UEA.

O estudo revelou ainda que os pesquisadores da área de Ciências Biológicas (49) e Humanas (44) demonstraram maior interesse pela temática considerando o volume de resposta efetivado. Os dados apontam ainda que a grande parte dos sujeitos não possui controle da quantidade de material que produz no período de um ano, sendo que 23% apontaram que produzem entre um e 50 GB e que o tipo de material produzido: textos (77%) e planilhas (51%). A motivação para compartilhar os dados está centrada, principalmente, em ter acesso aos produtos gerados a partir dos dados reutilizados ou em obter, pelo menos uma cópia do artigo publicado. Baixa familiaridade com a gestão de dados de pesquisa (14%), sendo necessário investir em capacitação dos pesquisadores.

Os dados levantados viabilizarão a prospecção de estratégias que qualifiquem o ecossistema comunicacional da ciência para o cumprimento dos objetivos da Ciência Aberta, os quais envolvem a transparência na metodologia experimental, observação e coleta de dados, a disponibilidade pública e reutilização de dados científicos, a acessibilidade pública e transparência da comunicação científica e o uso de ferramentas baseadas na web para facilitar a colaboração científica.

 

Fonte: ASCOM/UFAM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *