Novo plano de manutenção das escolas da Seduc-AM terá parceria de coordenadores

Educação

Plano contará com ação conjunta entre coordenadores, engenheiros e supervisores para agilizar as reformas nas unidades de ensino sem comprometer calendário pedagógico

Coordenadores distritais, engenheiros de manutenção e supervisores de infraestrutura se reuniram com secretários executivos da Secretaria de Estado de Educação (Seduc-AM), nesta sexta-feira (07/06), para discutir um novo sistema de manutenções corretivas e preventivas na infraestrutura de escolas da rede estadual. O plano tem como um dos objetivos agilizar as reformas nas unidades de ensino sem comprometer o calendário pedagógico das instituições, a partir de demandas apresentadas pelas coordenadorias.

De acordo com o diretor do Departamento de Administração da Infraestrutura (Deinfra), Anderson Viana, o plano preenche uma lacuna existente no setor. “Quando assumimos não havia um planejamento de manutenções preventivas. E isso é essencial para que o serviço técnico seja feito de forma eficaz”.

Segundo o diretor, a reunião representou uma fase preliminar de identificação das demandas mais urgentes “Depois desse encontro, solicitamos aos coordenadores distritais que façam um levantamento das escolas prioritárias para que possam ser avaliadas pelos nossos engenheiros. Assim, daremos início ao planejamento das manutenções”, assinalou.

O novo plano, que funcionará por meio de planilhas integradas, deverá entrar em vigência ainda este mês. “O pontapé inicial foi dado nesta sexta-feira”, comentou o secretário-executivo adjunto de gestão da Seduc-AM, professor Rômulo Zurra. “Este plano tem duas características principais: a transparência, marca na gestão do secretário Luiz Castro; e a participação dos coordenadores distritais e dos supervisores de infraestrutura. São eles que sabem os reais problemas estruturais dessas escolas”, completou.

Inédito – Segundo Zurra, a reunião desta sexta-feira (07/06) foi algo inédito na Seduc-AM e um marco para a gestão do secretário de Educação do Estado, Luiz Castro. “Eles [os coordenadores] ficaram admirados, pois nunca haviam participado de um encontro desses. Essa parte das reformas e reparos das escolas estaduais era tratada como uma ‘caixa-preta’. O gestor recebia as empresas responsáveis pelas obras e os empreiteiros não informavam ou perguntavam nada”, revelou.

A partir de agora, o calendário de reparos e manutenções das instituições de ensino estaduais será definido, em conjunto, pelos coordenadores distritais, supervisores de infraestrutura e Deinfra.

“Nossa intenção é que essas reformas não prejudiquem o calendário pedagógico das escolas. Vamos acompanhar de perto esses reparos e melhorar o nosso sistema de fiscalização, também. Essa parte da gestão [infraestrutura e manutenção] tem que trabalhar em função do educacional e não o contrário”, reforçou Zurra.

Segundo o secretário-executivo adjunto de Educação da Seduc-AM, Bibiano Filho, presente na reunião, o novo plano marca uma “democratização de gestão”.

“Reorganizamos o calendário de ações do Deinfra e ele será executado para garantir a continuidade dos serviços de reparos sem comprometer as aulas. Recuperar nossas escolas significa oferecer melhores condições de trabalho para os professores e, consequentemente, para o aprendizado dos estudantes”, ressaltou Bibiano.

Próximos passos – De acordo com o secretário-executivo adjunto de Gestão, o próximo passo para implementação do novo sistema é se reunir com os coordenadores do interior do Amazonas. “Essa será uma ação integrada com todas as coordenadorias, de Manaus e do interior”, adiantou Zurra.

Após a conclusão do calendário de reparos e manutenção das escolas, o plano será aplicado, também, a outras questões referentes à melhoria das condições de ensino no estado.

“Faremos reuniões para discutir a logística e aperfeiçoar o cronograma relacionado à merenda escolar e a nossa cadeia de suprimentos [carteiras, bebedouros, computadores, entre outros]. Queremos atender da melhor forma essas instituições. O secretário [Luiz Castro] já deixou claro que não quer que falte nada em nossas escolas, para que o pedagógico consiga desempenhar da melhor forma o seu trabalho”, finalizou secretário-executivo adjunto.

 

Fonte: ASCOM/Seduc-AM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *